Crenças

“A união de solidariedade entre iguais e diferentes impulsiona a força centrífuga e centrípeta da vida, da evolução e do compromisso com o desenvolvimento sustentável”

A ONU propõe um projeto civilizatório e promove ações de paz. O Humanitare propõe um projeto de mobilização da sociedade em torno dos valores, princípios e propósitos das Nações Unidas, e promove as ações da ONU. A vinculação à ONU aproxima a sociedade das causas civilizatórias que afetam o conjunto da humanidade a partir do indivíduo e da coletividade. O Humanitare (humanitas + habitare) sintetiza a essência dessa legitimidade: indivíduos interconectados e com visão compartilhada gerando consciência da interdependência para a sobrevivência das gerações vindouras. Humanitare é a união de solidariedade entre iguais.

JUSTIFICATIVA I – Essência da História da Humanidade

A razão do ser do universo é o homem cooperando entre si para preservá-lo e assim, preservar a existência da humanidade. Todas as criaturas deste universo, em sua pequenez e transitoriedade se tornam espelhos da natureza. Seus modos de ser e agir, em tudo que tem de verdade e bem, de bondade e de beleza são caleidoscópios do mundo em que vivem. Assim, a humanidade é a fonte da evolução e tem como missão a constante busca do bem estar que se efetiva através da sociedade, constituindo a história da humanidade que em toda sua existência busca a paz e a prosperidade.

JUSTIFICATIVA II – Essência do mundo atual

Mundo Partido
A politização estabelecida pelos governos define o destino da humanidade onde o indivíduo e o coletivo é subserviente desse contexto vivendo num mundo exclusivista.

A fragmentação está presente no dia a dia, no trabalho, nos governos, nas relações pessoais e institucionais e dificilmente conseguirá encontrar soluções para melhoria das condições de vida, da valorização do ser humano, da preservação do meio ambiente e das criaturas que nele habitam.

Mundo Conectado
Com o avanço da tecnologia, a sociedade da informação ao mesmo tempo em que impulsiona a globalização, também traz a consciência e a inclusão onde o indivíduo partilha e compartilha no coletivo da rede social para a qual é convocado a assumir seu papel de agente social responsável no contexto desse coletivo (no local onde mora, no país onde habita e no mundo onde vive).

JUSTIFICATIVA III – Conjunto de fatos que afetam a humanidades

Os problemas humanos e ambientais atravessam fronteiras políticas, classes sociais, níveis intelectuais, étnicos e educacionais afetando a todos: elementos do micro-cosmos às cooperações, o espaço público, aos governos, as comunidades em todos os ambientes nos quais o indivíduo se relaciona.

A paz e a justiça social e a real aceitação da diversidade do mundo da globalização não podem ser vistos desde uma ótica local.

“Não dá para viver bem num mundo em que tudo vai mal!”

É necessária a mobilização conjunta de todos os atores deste cenário para uma gestão eficiente desses problemas. A solução não está mais em dar poder a uma única liderança condutora e controladora da definição das políticas que afetam a humanidade.

É preciso adotar no cotidiano que as pessoas não só têm o direito e o dever de contribuir, mas tem o privilégio de poder fazê-lo. E para tal faz-se absolutamente necessária a constante conscientização e educação, cujo importante papel cabe às mais diversas fontes e ferramentas da comunicação, base primordial do relacionamento do indivíduo no contexto pessoal, corporativo, institucional e social.

JUSTIFICATIVA IV – Nações Unidas como contingente virtuoso da atual transição para Paz e Prosperidade.

No contexto caótico da fragmentação do mundo gerado pelas guerras, nascem as Nações Unidas com a importante missão de buscar o caminho da paz e da prosperidade e se mantêm como o mais efetivo organismo civilizatório dos tempos atuais.

Seus princípios e propósitos estabelecidos com base em instrumentos jurídicos institucionais estabelecem as bases do relacionamento da humanidade.

– A Carta das Nações Unidas que procura ordenar o relacionamento entre os países membros para preservar a todos no mundo.
– A Declaração Universal dos Direitos Humanos que procura ordenar o relacionamento entre os indivíduos e instituições para preservar a todos que coabitam este mundo.

Assim, impulsionados pelas Nações Unidas, o indivíduo se entrega ao todo “nós os povos” – 2000, reforma da ONU (Nações Unidas, este é o nosso mundo)– ao contexto local, regional e universal e é convocado a contribuir seja como indivíduo ou coletivo, institucional ou corporativo na qualidade de integrante da humanidade, como agente propulsor da mudança que se faz necessária.

JUSTIFICATIVA V – Impacto em nosso país, à nossa gente e o papel do HUMANITARE.

A dimensão territorial é imensa. A população mundial assim como a população brasileira sofre o impacto dessa dura realidade tão fragmentada.
É preciso constituir um organismo para cumprir a missão de integrar, de mobilizar, de unir esforços solidários entre iguais, articulando e facilitando o agregar de ações para conscientização e da conscientização para a mudança, que se faz atuante a partir das escolhas e interesses individuais, que se consolidam através dos redes sociais de relacionamento.

Sob o guarda-chuva ONU, o HUMANITARE se propõe a promover a sinergia e a união da solidariedade entre iguais, através dos princípios e propósitos humanísticos, universais, conectando indivíduos ao institucional, gerando conscientização e força de mobilização coletiva – redes sociais – preservando o bem estar de todos e do planeta, consolidando a interdependência como princípio de vida.

EM SÍNTESE:
A ONU propõe um projeto civilizatório e promove ações de paz. O Humanitare propõe um projeto de mobilização da sociedade em torno dos valores, princípios e propósitos das Nações Unidas, e promove as ações da ONU. A vinculação à ONU aproxima a sociedade às causas civilizatórias que afetam o conjunto da humanidade a partir do indivíduo e à coletividade: “O Humanitare”.

O Humanitare (humanitas + habitare) sintetiza a essência dessa legitimidade: indivíduos interconectados e com visão compartilhada gerando consciência da interdependência para a sobrevivência das gerações vindouras. Humanitare é a união de solidariedade entre iguais.